domingo, 23 de maio de 2010

Me revele

Fale-me de tua vida
Tuas coisas teus amores
Teus desejos e segredos
Revele-me quem você é agora...
E não se importe com a canção do vento que sopra milhões de lamentos do lado de fora
Apenas abra o coração e deixe se revelar
Com pureza e a beleza de uma singela canção
Que se escuta simplesmente num momento displicente na mesa de um bar....
Se as palavras são pequenas pra escrever o teu poema e a tua história cantar...
Se abraçe à canção e abra o seu coração e deixe a emoção falar...
Que canção se cantar num bar????????
Qualquer canção que fale o que as palavras não conseguem traduzir
Pode ser só um murmúrio, um assovio no escuro
Desde que se deseje cantar...
Não me venha falar da malícia de toda mulher.....
Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que se é...
Sei bem que somos...
Só os rastros do segundo débil e frágil
Na efemeriade desde mundo cão...
Um contraste doce e terno
Do efêmero e o eterno num balé de tanta ilusão...
Que nos cegam as certezam nos matiza de tristeza
E revela quão utópica a esperança é.....
Só magia, energia, negativo e positivo na natureza una de um homem-mulher
Mulher-homem tanto faz
Guerra e paz completam se num mesmo e só destino
Rosto rubro de um semblante que em pranto rola um milhão de lágrimas sorrindo....

Nenhum comentário:

Postar um comentário