domingo, 23 de maio de 2010

EXCLU... INCLU... INDO

Somos todos iguais
Iguais na diferença
Iguais no sonhar
No sentir no desejar
Muito mais do que se pensa.
Somos a extensão um do outro
Numa elonquente diversidade
Onde todos somos um...
Um... Humano.
A nossa diferença
Manifesta-se e nos confundimos
Gerando a indiferença...
A indiferença gerada,
Frutifica em exclusão
Esclusão de nós mesmo
Ao nos distanciarmos do outro...
Fechamos os olhos
Fechamos as rodas
Fechamos as portas
E fechamo-nos
Chocados com o diferente
Diverso deficiente
Afinal especial.

Mas qual?Que? Como?
Homo sapiens
Homo hominis lupus (o homem, lobo do homem)
Excluido afinal

Mas sapiens homo
ONU aglutina
E gera questões
Questionando o excluir
Surge assim o desafio
O debate, o embate
E se batem...
Incluir incluir incluir!
Corrigir o excluir dissolver...

De utopia a direito mutou-se
De discurso a lei agora já
Mas no papel e na letra
Pois na treta...
Ainda há, muita luta para se lutar.
Na família, na escola na igreja
No mercado no estacionamento,
No boteco no shoping no centro
Nas ruelas vielas periferias
Cidades belas interiores favelas
Tudo ainda inacessível se faz

Somos todos deficientes eficientes
Incluir incluir incluir!
Conjugar com urgencia tenaz.

Somos todos deficientes
Em quesítos efêmeros que seja,
Temos todos especiais necessidades
Baixe a guarda se desarme e se veja
Incluir incluir incluir!
Eis a ordem ao bom cidadão,
Ser diferente é normal afinal
Somos todos iguais... Somos todos irmãos
No diverso igual que nos faz
sermos Ímpares... ESPECIAIS
Exclu... Não mais nunca jamais
Inclu... Sempre agora já!
Ainda que a lentos passos...
Abramo-nos ao outro que vem...
Com tudo que é e que tem!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário