domingo, 23 de maio de 2010

Mandinga as Avessas


Arrisurvi fazer uma mandinga
Pá conquistá de veiz meu bem querê...
Ela num sabe que eu gosto dela e eu num tenho força pá dizê!

Fui na capanga de Tia Janurca e na cumbuca de erva preparada...
Do que eu achei peguei de tudo um pouco...
Pá vaze mandinga pra mulhê amada!

Amassei tudo e puis na lambiquêra... Dexei curti, mode ficá no ponto...
Era receita de Ti fulô papo, que si diz dotô em diversos pontos!

Quando chegou o dia da intrega, achei a dama na ocasião...
Sirvi pra ela a pinga preparada, certo que siria o dono do seu coração!

Mais a mandinga saiu pela culatra, ela também gostava de alguém...
Tomô corage tomando mandinga... E cheia da pinga foi buscá seu bem!!!

Arrevortado joguei a mandinga fora e Tia Janurca bem ansim me falô... Pois bem...
Todo covarde, tem medo de ter corage e no fim das contas fica sem ninguem!!!

Um comentário:

  1. Num há mandinga, prece ou gole se cachaça que ocupe o lugar da coragem; CORAGEM essa de se declara a pessoa amada sem medo de não ser correspondido. E tem coisa mio de bom do que amar? Se for correspondido então...eitaaa trem bom da conta soh!

    Um banhinho de ervas pra mode atrai meu amo. Um incenso de fulô pra mode juntinho dele fazer loucuras de amo... eitaaa Laiá, me banha em tuas águas...

    Lindo Poema migo queridoO
    AdoOrooO ti!!

    bjoO bjoO

    ResponderExcluir